Vamos entender a Sindrome de Asperger?


Um Transtorno do Espectro Autista


A síndrome de Asperger (AS) é um transtorno neurobiológico que faz parte de um grupo de condições conhecidas como perturbações do espectro do autismo. O "espectro do autismo" refere-se a uma série de deficiências de desenvolvimento, que inclui o autismo , bem como outras doenças com características semelhantes.


Eles são conhecidos como transtornos do espectro, porque os sintomas de cada um podem aparecer em diferentes combinações e em diferentes graus de gravidade: duas crianças com o mesmo diagnóstico, embora possam compartilhar certos padrões de comportamento, podem apresentar uma ampla gama de habilidades e capacidades.


Como resultado, os termos gerais como "de baixo funcionamento", "de alto funcionamento", "tendências autistas," "transtornos invasivos do desenvolvimento", e outros são muitas vezes utilizados para descrever as crianças cujos comportamentos se inserem no espectro. Crianças com Síndrome de Asperger compartilham muitos dos mesmos sintomas que as pessoas com "autismo de alto funcionamento".


Os meninos são mais do que três a quatro vezes mais propensos do que as meninas a serem afetados pela Síndrome de Asperger. Como os casos mais brandos estão sendo identificados com maior freqüência, a incidência parece estar aumentando. 


Sobre a Síndrome de Asperger


A desordem é nomeado após Hans Asperger, um pediatra vienense que, em 1944, descrevia pela primeira vez um conjunto de padrões de comportamento aparentes em alguns de seus pacientes, em sua maioria do sexo masculino. Asperger percebeu que, embora estes meninos tinham inteligência normal e desenvolvimento da linguagem, tinham habilidades sociais gravemente comprometida, incapazes de se comunicar eficazmente com os outros, e tinha uma má coordenação.


Segundo a Asperger Syndrome Coalition of the United States, o início da síndrome pode ser mais tarde do que é típico no autismo - ou pelo menos é reconhecida mais tarde. Muitas crianças são diagnosticadas após 3 anos de idade, com mais diagnosticado entre as idades de 5 e 9.


A Síndrome de Asperger é caracterizada por pobres interações sociais, obsessões, padrões de fala estranha, e outros maneirismos peculiares. Crianças com esta síndrome freqüentemente têm poucas expressões faciais e têm dificuldade em ler a linguagem corporal dos outros, pois eles podem se envolver em rotinas obsessivas e exibir uma sensibilidade incomum aos estímulos sensoriais (por exemplo, eles podem ser incomodado por uma luz que ninguém mais percebe; eles podem tapar os ouvidos para bloquear sons no ambiente, ou eles podem preferir usar roupas feitas somente de um determinado material).


Em geral, pessoas com Asperger são capazes de levar uma vida cotidiana naturalmente, mas tendem a ser um pouco imaturas socialmente, se relacionarem melhor com adultos do que seus pares, e pode ser visto pelos outros como estranhos ou excêntricos.


Outras características da SA pode incluir atrasos motores, movimentos desajeitados, interesses limitados, e preocupações peculiares. Adultos com SA têm dificuldade para demonstrar empatia pelos outros, e as interações sociais são difíceis.


Especialistas dizem que, como segue um curso contínuo, geralmente, dura uma vida inteira. No entanto, os sintomas podem aumentar e diminuir ao longo do tempo, e serviços de intervenção precoce pode ser útil.


Sinais e Sintomas


Como os sintomas da SA são muitas vezes difíceis de diferenciar de outros problemas de comportamento, é melhor deixar que um médico ou outro profissional de saúde avalie os sintomas do seu filho. Não é incomum para uma criança ser diagnosticada com déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) antes do diagnóstico de SA, feita mais tarde.


Uma criança com Síndrome de Asperger pode ter estes sinais e sintomas:


• inadequados ou mínima interações sociais


• conversas quase sempre giram em torno de si mesmo em detrimento de outros


• discurso "robótico" ou repetitivos


• falta de "senso comum"


• problemas com as habilidades de leitura, matemática ou escrita


• obsessão com temas complexos


• habilidades cognitivas não-verbais abaixo da média, embora habilidades verbais cognitivas estão geralmente na média ou acima da média


• movimentos estranhos


• comportamentos estranhos ou maneirismos


É importante notar que, ao contrário de crianças com autismo, aqueles com SA podem apresentar-se  sem atrasos no desenvolvimento da linguagem, pois eles geralmente têm boas habilidades gramaticais e um vocabulário avançado em idade precoce. No entanto, eles normalmente exibem um distúrbio de linguagem - podendo ser muito literal e com dificuldade em usar a linguagem num contexto social.


Muitas vezes não há atrasos evidentes no desenvolvimento cognitivo. Embora crianças com SA podem ter problemas com atenção e organização, e tem habilidades que parecem bem desenvolvido em algumas áreas e falta em outros, eles normalmente têm média e às vezes a inteligência acima da média.


O que causa a Síndrome de Asperger?


Pesquisadores e especialistas de saúde mental estão ainda investigando as causas do autismo e da SA. Muitos acreditam que o padrão de comportamento podem ter muitas causas. A pesquisa aponta para a possibilidade de anormalidades cerebrais como causa de SA, uma vez que há diferenças estruturais e funcionais em regiões específicas do cérebro.


Parece haver um componente hereditário para SA, pesquisas indicam que em alguns casos, pode estar associada a outros distúrbios de saúde mental como depressão e transtorno bipolar.


Contrariamente às suposições incorretas que alguns fazem sobre as pessoas com o transtorno, a privação emocional ou a maneira como a pessoa foi criada não é a cauda desta síndrome. Alguns dos comportamentos exibidos por alguém com SA podem ser visto pelos outros como intencionalmente rude, resultado de uma criação com maus pais - que não é. É um transtorno neurobiológico cujas causas ainda não são totalmente compreendidos.


Atualmente, não há cura para a doença. Mas muitos levam uma vida plena e feliz, e a probabilidade de conseguir isso é reforçada com uma educação apropriada, apoio e recursos.


Diagnóstico de Síndrome de Asperger


A síndrome de Asperger pode ser muito difícil de diagnosticar. Crianças com SA funcionam bem na maioria dos aspectos da vida, por isso pode ser fácil atribuir os seus comportamentos estranhos para apenas ser "diferente".


Especialistas dizem que a intervenção precoce, envolvendo a formação educacional e social, realizada enquanto o cérebro da criança ainda está em desenvolvimento, é muito importante para crianças com SA.


Se seu filho apresenta algum dos sintomas e comportamentos que são típicos desta síndrome , é fundamental procurar ajuda. Encaminhá-lo para um profissional especialista em saúde mental ou outros para avaliação diagnóstica é fundamental.


Quando um especialista avalia o seu filho, uma profunda avaliação "psicossocial" será realizada. Isto inclui uma história cuidadosa quando os sintomas foram reconhecido pela primeira vez, o desenvolvimento de habilidades motoras e padrões de linguagem e outros aspectos da personalidade e do comportamento (incluindo atividades favoritas, hábitos incomuns, preocupações, etc.)


Particular ênfase é dada ao desenvolvimento social, incluindo os problemas passados ​​e presentes na interação social e o desenvolvimento de amizades. A avaliação psicológica e avaliação de habilidades de comunicação são normalmente realizada para determinar quais os pontos fortes e quais são as deficiencias.


Tratar Síndrome de Asperger


Por apresentar padrões de comportamento e problemas que diferem muito de criança para criança, não há um regime de tratamento "típico" ou prescritos. No entanto, dependendo do que os seus pontos fortes e fracos (ou, dependendo de sua história e desenvolvimento), as crianças podem se beneficiar desses tratamentos:


•intervenções educativas especializada


•treinamento de habilidades sociais


•terapia de linguagem


•treinamento de integração sensorial para crianças mais novas, geralmente realizadas por um terapeuta ocupacional, em que são insensíveis aos estímulos aos quais eles são extremamente sensíveis


•psicoterapia comportamental / terapia cognitiva para crianças mais velhas


•medicamentos


Os profissionais de saúde que cuidam de seu filho deve saber o que os outros estão fazendo, e muitas vezes você vai encontrar-se atuando como o "gestor de caso" neste cenário. Os professores, babás, outros membros da família, amigos próximos, e qualquer outra pessoa que cuida de seu filho também devem ser envolvidos.


É importante saber que muitas pessoas podem prestar assistência. Encontrar o programa certo para seu filho é fundamental e obter ajuda precoce é importante. Crianças com SA tem ganhos com o tratamento adequado.


Ajudar o seu filho


Embora, como apresenta desafios para as crianças e seus pais, você pode ajudar seu filho a adaptar-se e oferecer apoio de várias maneiras:


•Olhe em programas educacionais ou de formação para os pais. Você é primeiro professor do seu filho e você vai continuar a ser a pedra angular para apoiar o seu desenvolvimento.


•Ensine seu filho a auto-ajuda. Aprender essas habilidades ajudam as crianças a alcançar o máximo de independência.


•Nem sempre é óbvio que uma criança tem necessidades especiais. Como pai e mãe, você pode ter que assumir o papel de educador quando se lida com os professores, médico e outros cuidadores.


•Encontre um programa que atenda às necessidades específicas do seu filho ou áreas de "deficiência". A Sociedade Americana de Autismo (ASA) incentiva os membros da família a conversar com o diretor do programa para determinar se o currículo ou programa aborda questões particulares da sua criança.


•Escolha programas especiais ou tratamentos que focam resultados a longo prazo e que tenham o nível de desenvolvimento do seu filho.


•Lembre-se que o seu filho é parte de uma unidade familiar e que as necessidades dele deve ser equilibrada com o as de outros membros da família.


•Obter apoio para si mesmo e outros membros da família. Você não pode ajudar o seu filho se você não estiver atendendo às suas próprias necessidades emocionais e físicas. ´Procure ajuda, uma orientação para auxiliá-lo(a). 


Futuro do seu filho


Atualmente, poucas instalações são dedicados especificamente para suprir as necessidades de crianças com AS. Algumas crianças estão em escolas regulares, onde o seu progresso depende do apoio e incentivo dos pais, cuidadores, professores e colegas. No entanto, alguns vão para escolas especiais para crianças com autismo ou dificuldades de aprendizagem.


Muitas pessoas com SA podem funcionar bem na maioria dos aspectos da vida.
Você pode sentir oprimido e desanimado se seu filho for diagnosticado com Síndrome de Asperger. Lembre-se que uma equipe de profissionais pode proporcionar tratamento, apoio e incentivo para o seu filho - e sua família.

Fonte: HealthKids

35 comentários:

Guilhermina Abreu disse...

Eu vou fazer um Comentário,como pessoa atenta, mãe de autista, técnicamente conhecedora de muitos casos, informada por iniciativa própria.

Todos os pais, podem e devem pensar neste assunto. Conhecer e saber, ajudar e entender.

As crianças, jovens ou adultos, têm sempre uma razão para serem como são. E, muitas vezes - quase sempre- numa escola, em casa ou em sociedade, tentam emitar os outros sem sucesso, o que provoca ainda mais o seu isolamento e frustração.
Tente ser capaz de viver no seu mundo, sem deixar de viver num mundo diferente, aprendendo a faze-lo por amor ao próximo.

Unknown disse...

Asperger não é uma doença e, portanto, falar de cura é equivocado. Meu diagnóstico foi tardio e muito esclarecedor pois ocorreu na fase adulta, e pude compreender situações pontuais que ocorreram em minha vida, e que eram obscuras até então. É uma condição que nos permite, além de enxergar detalhes que neutotípicos não enxergam, ter habilidades diferenciadas na sociedade.

Anônimo disse...

Unknown, gostaria de uma orientação sua de qual a melhor forma de ajudar quem possui SA. Estamos (eu e minha esposa) desconfiados de que nosso filho tem um defict de atenção. O problema é que não sabemos se é realmente um deficit ou se um sintoma da SA (já diagnostiado), sendo assim não sabemos, também, se se faz interessante o uso de medicamentos que contribuam para abrandar esse sintoma.
Se ler a mensagem e puder nos orientar e relatar experiências, agradeço.

Att,

Alexandre

e-mail:jpmp01@gmail.com

Debora alves da silva disse...

Ola. Meu filho tem comportamentos estranhos. Ele fica pulando o tempo todo. Nao consegue ficar sem fazer movimentos por muito tempo. É muito emotivo e chora com muita facilidade. Sem contar com o deficit de atenção e aprendizado lento. Isso podem ser sintomas desse disturbio?

Debora alves da silva disse...

Ele ten 9 anos mas apresenta isso desde os 4 anos.

Debora alves da silva disse...

Ele ten 9 anos mas apresenta isso desde os 4 anos.

Debora alves da silva disse...

Ola. Meu filho tem comportamentos estranhos. Ele fica pulando o tempo todo. Nao consegue ficar sem fazer movimentos por muito tempo. É muito emotivo e chora com muita facilidade. Sem contar com o deficit de atenção e aprendizado lento. Isso podem ser sintomas desse disturbio?

? disse...

oi,minha filhinha de uns dias pra cá,passou a ter comportamentos estranhos,andando sem parar,rodando em tornos dac coisas e pessoas.Resolvi dar uma olhada na net,pra ver se achava alguma coisa que tivesse relação com os sim
nto,as que tenho observado.Hoje vou leva-la a uma neuro pediatra pra poder tirar todas as minhas duvidas e preocupações,afinal,nao está sendo nada facil pra mim ter que lhe dar com toda essa mudança!!!!!!

Anônimo disse...

Olá Débora, tenho 2 filhas com este síndrome. A mais nova tem sempre uma energia inesgotável, é muito comunicativa, muito esforçada mas mesmo assim tem bastantas dificuldades de aprendizagem. A mais velha é quase o oposto, tem ótimas notas menos a matemática, é uma criança muito tímida, reservada. Em comum abas tem dificuldade em expressar os sentimentos e não reconhecem no rosto de outra pessoa as suas emoções
Pessoas com este síndrome podemos ser muito diferentes umas das outras se acha que o seu filho pode ser asperger consulte um neropediatra. Pois com 9anos já devia ter feito uma avaliação. Espero de alguma forma ter ajudado.

Larissa Muniz Carvalho disse...

Sou assim e tenho uma enorme dificuldade em enxergar os outros e suas necessidades. Existe alguma possibilidade de eu desenvolver a a habilidade de ver os outros e suas necessidades?

Angelvolz Angel disse...

Estou suspeitamos que tenho SA mas não fiz um diagnóstico. Tenho perda auditiva e sempre pensei que fosse só isso que me fazia ser tão diferente dos outros. Mas ter deficiência auditiva não é motivo para se afastar das pessoas. Não gosto de muito barulho não gosto de matemática mas adoro ler. Sou obsecada por livros as vezes esqueço de comer. Tenho muito dificuldade em controlar a ansiedade e me preocupo com tudo muito minuciosamente. Já li muitos livros de auto ajuda. Adoro realizar trabalhos na área das artes. Psicologia. E Atendimento Especializado. Gostaria de saber como devo fazer para saber se tenho ou não SA. Eu preciso saber porque tenho comportamentos que não são adequados aos locais que frequento. Obrigada.

Angelvolz Angel disse...

Estou suspeitamos que tenho SA mas não fiz um diagnóstico. Tenho perda auditiva e sempre pensei que fosse só isso que me fazia ser tão diferente dos outros. Mas ter deficiência auditiva não é motivo para se afastar das pessoas. Não gosto de muito barulho não gosto de matemática mas adoro ler. Sou obsecada por livros as vezes esqueço de comer. Tenho muito dificuldade em controlar a ansiedade e me preocupo com tudo muito minuciosamente. Já li muitos livros de auto ajuda. Adoro realizar trabalhos na área das artes. Psicologia. E Atendimento Especializado. Gostaria de saber como devo fazer para saber se tenho ou não SA. Eu preciso saber porque tenho comportamentos que não são adequados aos locais que frequento. Obrigada.

Catarina Abreu disse...

Doença, cura, assistência; é sobre a SA ou sobre doenças do coração?

Anônimo disse...

Nao fui tratado quando crianca. Nao conseguia conversar com os colegas na escola. Quando jovem abandonei a faculdade pq nao tinha amigos e tinha pavor de apresentar trabalhos com todos me olhando. Sai do Brasil e agora sou um adulto isolado, sem amigos e super frustrado . Apenas trabalhando pra sobreviver. Quando digo sem amigos eu digo sem nenhum amigo mesmo. Eu e eu apenas vivendo no meu mundo como se fosse a unica pessoa na face da terra. Triste fim .

Lia Helena Giannechini disse...

Tudo tem um começo. Asperge ou qualquer síndrome neurológica, passa pelo corpo, pela mente e pelo psiquismo (uma energia vital.O triste fim só existe quando o progresso da doença é deixado ao léu. Existem vários tratamentos, que fazem regredir sintomas.A psicologia, a acunpuntura, os florais, e um conjunto de tratamentos alinham sua energia com seu potencial. Não tem cura, mas não precisa sofrer com a doença. Precisa se libertar das imposiçoes sociais e estabelecer uma vida gratificante para voce..
meu site.www.alemdooceano.wordpress.com

Anônimo disse...

Olá, meu filho tem diagnóstico de Asperger, tem is sintomas classicos, só q ele apresenta muito forte uma intolerância , baixa frustração ,muita irritabilidade , por conta disso toma medicação , e mesmo assim não resolve muito. Nunca ouço essas queixas no asperger, elas fazem parte da do quadro? Pq no caso dele é o impossibilita de poder ter uma vida quase normal, ou um grau bem sutil de asperger. Pq qdo se fala nas dificuldades do relacionamento e outras do asperger, nao se fala como é essa dificuldade, ela pode ser em forma de intolerância, de não aceitação do q outro fala?? Email: m-pareja@hotmail.com

Família Miranda Melo disse...

Não vc não está só. Inúmeras pessoas estão com você. Não fale em fim e sim recomeço.Temos pela Internet acesso a matérias sobre esse tema. Vc encontrará também formas de tratamento e se superar. Eu sou mãe de um SA. Ele é tudo pra mim! E vou adotar você também! Com carinho: sua mãe afetiva!

Família Miranda Melo disse...

Não vc não está só. Inúmeras pessoas estão com você. Não fale em fim e sim recomeço.Temos pela Internet acesso a matérias sobre esse tema. Vc encontrará também formas de tratamento e se superar. Eu sou mãe de um SA. Ele é tudo pra mim! E vou adotar você também! Com carinho: sua mãe afetiva!

Jociane Souza disse...

Tenho um filho com os mesmo sintomas,aspectos de autista
De uns tempos para cá ele regrediu muito,está agressivo. Se alto multila, grita muito,ele não fala, tem manias fora do normal como roupas que vestir todas ou a mesma,e muito imperativo, incompreensível, ele chora do nada se irrita por qualquer coisa,não aceita o não, quebra as coisas em casa quando contrariado nossa eu to passando uma Barra com ele

Jociane Souza disse...

Tenho um filho com os mesmo sintomas,aspectos de autista
De uns tempos para cá ele regrediu muito,está agressivo. Se alto multila, grita muito,ele não fala, tem manias fora do normal como roupas que vestir todas ou a mesma,e muito imperativo, incompreensível, ele chora do nada se irrita por qualquer coisa,não aceita o não, quebra as coisas em casa quando contrariado nossa eu to passando uma Barra com ele

Shirlei Lacerda disse...

Procure terapia, peça ajuda. Vc não está só, existem milhares de pessoas como vc no mundo. Não se isole. Depende de vc agora decidir buscar ajuda e ser uma pessoa como outra qualquer, com suas limitações e com suas qualidades.

Shirlei Lacerda disse...

Já buscou ajuda? Isso tudo pode ser tratado, busque ajuda urgente. Terapias, Fono, Terapia Ocupacional.. Se não puder pagar, procure saber na prefeitura onde tem esses tratamentos gratuitos.

Anônimo disse...

olá eu tenho 16 anos n sou muito comunicativa n consigo ficar parada n sou boa em exatas, comecei a procurar mais informações para o meu "problema"e me encontrei em alguns sintomas,então fiquei um pouco preocupada em saber se posso ter essa síndrome???

Zane Garnier disse...

Gostaria de convidar a todos para a exposição da DUDA GARNIER.
Uma nova artista plástica que possui o espectro do autismo (SÍNDROME DE ASPERGER) e que com a arte conquistou resultados visíveis e diários com um impressionante crescimento emocional e intelectual.
Uma exposição imperdível para pais, professores e todos que tem interesse em arte e inclusão.
O pai da Duda, o artista plástico e arte-educador Helio Rodrigues (www.heliorodrigues.com.br) fará duas palestras sobre A ARTE CONECTA. Estão todos convidados para a palestra e para esta mostra didática.
EXPOSIÇÃO:
ARTE CONECTA – DUDA GARNIER – de 08 a 21 de Outubro 2016
Instituto Pró-Saber
Inauguração com palestra de Helio Rodrigues:
Dia 08 de Outubro
De 16:00 às 19:00 h.
Palestra “A Arte Conecta” – 17:00 às 17:40H.
Largo dos Leões 70 – Humaitá – Rio de Janeiro

http://dudagarnier-arteconecta.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Boa noite. Terá em Brasilia?

Allan Marques disse...

Peça ajuda a seus pais e procure um especialista se isso lhe incomoda.

Luciene disse...

Meu filho tem 17 anos, este ano tive a confirmação médica de que ele possui S.A , apesar de já ter este diagnóstico a uns 5 anos mais ou menos,Gostaria de saber como posso ajuda lo em relação a fazer amigos, ele possui a maioria das características desta síndrome , mais a que mais o magoa e a nós também é a parte de não conseguir fazer amigos. Ele é muito inteligente aprendeu sozinho a ler . falar e escrever em inglês fluentemente, na verdade este é quase o 1º idioma dele.Levamos para fazer uma avaliação neste idioma e ele fez em 1:10 h todas as provas orais e escritas que um aluno deveria fazer em 8 anos. Americanos conversam com ele sem perceber que ele é brasileiro.Preciso saber como posso ajuda lo.

Maria Neide Leite disse...

Meu filho tem 16 anos e ainda não tive a confirmação da síndrome de asperger, mas o comportamento dele é bem parecido com diversos casos aqui citado. Ele é muito inteligente, aprende tudo sozinho, fala e escreve fluentemente em inglês e nunca frequentou nem um curso. Gosta de coisas exóticas...entende um pouco de japonês e ler muito a literatura japonesa. Seu maior desejo é um dia poder morar no Japão. Disse que tem dificuldade em raciocinar em português porque o seu cérebro tá acostumado com o inglês. Tem pavor de ir para o colégio. Não tem amigos, não sai de casa,e é viciado por exercícios. Musculação...mas só faz na academia do prédio e a noite quando não tem ninguém. Como posso ajudar meu filho? !!!

Anônimo disse...

Vim parar aqui pois sou professora e tenho uma aluna de 13 anos que o caso dela está me tirando a tranquilidade.Tenho todo o amparo dos outros profissionais, mas a família infelizmente demonstra pouco interesse em ir atrás e buscar saber o que ela tem.Então a escola faz o papel dela, mas não podemos levá-la ao médico.Resolvi procurar por mim mesma e saber sobre o que poderia ser.Ela tem idéias fixas e fala das mesmas coisas o tempo todo.Tem um mês que o papo dela é conhecer o Justin Bieber.Escreve cartas para ele.Coisas fora da realidade mesmo Chora sem motivos em sala.Não tem muita interação.A aprendizagem e rendimento são péssimos.A escola suspeita de abuso, mas não há nada concreto.Estou bem preocupada.

Greici disse...

Tenho um filho com 4 anos e 9 meses de idade e há aproximadamente 2 meses foi diagnosticado com a SA. Ele é muito inteligente, adora assistir vídeos na internet em inglês, sabe contar até 50, conhece todas as letras, já está se alfabetizando, mesmo sem ir a escola, já escreve seu nome, sem contudo saber juntar as palavras, por enquanto vai só escrevendo as letras separadamente. Sabe identificar as cores e as fala em português e em inglês e conta até 20 em inglês. Ele é muito carinhoso, está constantemente dizendo que nos ama (eu e o pai), sempre distribuindo beijos e abraços, as vezes excessivos (muito gostosos), não gosta de muitas pessoas reunidas, prefere estar em casa do que sair, detesta barulho (só gosta do dele), se ouve barulhos altos logo tapa os ouvidos, mas o que me entristece e me preocupa muito é que ele não aceita o "não", é agressivo, constantemente tem reclamação na creche e com a cuidadora dele que ele agrediu algum coleguinha, geralmente distribuindo tapas e socos e ontem quando a professora fui repreende-lo por bater no colega, ele cuspiu nela. O que se repara é que muitas vezes ele quer defender outra criança e por isso agride o colega, pois acredita que eles estão em conflito. Agora ele não está aceitando que eu sorria e boceje, ele tapa minha boca e faz cara de bravo, lendo esse post imagino que é porque ele não consegue identificar o que são essas expressões e por isso as rejeita. Fico muito chateada, porque parece que nós (pai e eu) não o corrigimos, ele é muito amável e amado, mas me sinto impotente em relação a isso, não sei como agir, não sei o que fazer, pois o repreendo e muitas vezes o coloco de castigo tirando o tablete e o celular dele(aparelhos que ele é fascinado e passa horas na frente). Por favor me ajudem, alguém que tenha essas dificuldades com seus filhos, me falem de sua experiências e o que posso fazer para ajudar meu filho. A partir do ano que vem ele vai para o pré-escolar e aí minha preocupação é ainda maior.

Isabele disse...

Ele tem 4 anos e vcs já o deixam usar celular e tablet? Não seria melhor uma ajuda profissional?

Anônimo disse...

Primeiro acredito que seria necessário uma reunião com os pais, professores e a pedagoga da escola. Exigir dos pais que ela faça uma avaliação com um psicólogo. Caso a família se recusar o assunto deve ser levado ao Conselho Tutelar, pois configura descaso da família. É obrigação da escola intervir nesses casos para o bem da criança.

Anônimo disse...

Meu filho têm 4 anos e 7 meses. Vc descrevendo seu filho é como se estivesse descrevendo o meu. Sabe todo o alfabeto em português e inglês, conta até 100, sabe cores, formas em português e inglês. Em Fevereiro quando entrou na Escola Infantil tive as mesmas reclamações de agressão aos colegas e foi aí que comecei a minha luta. Eu ainda não tenho o diagnóstico de SA, mas antes decorrer para psiquiatras e entupi-lo de remédios, busquei a uma psicopedagoga que está sendo um sucesso. O comportamento na escola melhorou 90%, hoje ele não bate mais nos colegas e sim busca a ajuda das professoras quando está com algum problema. Só agora 9 meses depois comecei a buscar ajuda médica (neuropediatra e psiquiatra infantil) para descartar algo mais sério como comprometimento neurológico.
Precisamos ter calma e amor.

Dani Taborda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dani Taborda disse...

Olá tenho um parente com esta síndrome é os pais e especialistas estão lutando para enquafra-lo mas está muito compicado. ..vs fala de uma forma muito clara a respeito da síndrome é se pudesse entrar em contato conosco para esclarece-los seria de grande valia para os pais e profissionais