Crianças que não gostam de comer



É comum, entre crianças, a recusa por alguns grupos de alimentos – em muitos casos, os mais nutritivos e saudáveis, para desconforto dos pais. Também, com freqüência, as crianças passam por momentos nos quais o comer parece ser a última de suas preocupações por exemplo: nas férias, quando há muitas crianças e brincadeiras que “roubam” a atenção nas horas de refeição ou quando há uma mudança importante no cardápio, às vezes por ocasião de uma viagem. Situações como essas tendem a ser passageiras e não trazem prejuízos para o desenvolvimento e saúde da criança.

No entanto, a recusa pela alimentação pode constituir‐se como um problema quando a criança passa a desenvolver doenças decorrentes de baixa imunidade; quando a curva de crescimento (peso e altura) encontra‐se abaixo do normal ou, ainda, quando a seleção dos alimentos aceitos pela criança passa a ser, progressivamente, menor.

São em situações como essas que, muitas vezes, os pais se desesperam e, em uma tentativa de solucionar o problema, assumem atitudes contraproducentes. Uma das práticas mais comuns é ameaçar: “se você não comer eu vou te bater” ou “se você não comer vai ser um fracote e todos os meninos vão te bater”. Ameaças como essas tendem a produzir intensa ansiedade (acompanhada de enjôos e “garganta fechada”), prejudicando ainda mais a vontade de comer. Vale lembrar que, enquanto para algumas pessoas a ansiedade pode associar‐se ao aumento de apetite, para aqueles que tendem a rejeitar alimentos, a ansiedade é mais um elemento inibidor de apetite.

Também é bastante comum que pais de crianças que recusam alimentação gastem muito tempo acompanhando as refeições e, ao final dela, tenham esgotado seus tempos e suas paciências. Nesses casos, podemos dizer que toda a atenção e a presença dos pais podem estar associadas ao não comer, faltando tempo e energia para momentos gostosos, de brincadeiras e diversão. Dessa maneira, é possível que as crianças passem a associar a atenção e cuidados à recusa pela alimentação.

Na tentativa de resolver ou suavizar esse problema, costumamos sugerir no consultório pequenas mudanças, como as apresentadas a seguir:

1) Pratos com muita comida tendem a produzir muita ansiedade na criança (que tende a vê‐los como montanhas impossíveis de serem escaladas). Permita que a criança, assistida pelo adulto, faça seu próprio prato – exigindo apenas que ela coloque “um pouquinho de tudo”. É preferível um prato com pouca comida, que dê a oportunidade da criança terminá‐lo e ouvir dos pais: “Você raspou o prato! Se quiser, pode até repetir”.

2) Quando houver uma margem de tempo razoável, após poucos minutos de rejeição à comida, prefira afastar‐se da criança e, com suavidade, sugira que ela o chame quando estiver com fome. Nesse intervalo, procure dar pouca atenção à criança, explicitando que a companhia virá durante e após a refeição.

3) Ao início da refeição, combine com seu filho alguma atividade (brincadeira, jogo ou assistir juntos um programa de TV), que deverá ser realizada somente após comer.

4) Em geral, a criança com esse problema associa o alimento a desconforto, ansiedade e brigas. Para suavizar isso, é interessante que se faça uma associação entre comidas e situações agradáveis. Para isso, vale cozinhar junto com a criança, brincar de casinha utilizando um pouquinho de ingredientes de verdade (por exemplo: alguns grãos de arroz e feijão e uma folhinha de alface picada) ou ler histórias envolvendo comidas.
É importante salientar que, em alguns casos, mudar esse quadro não é fácil e exige ajuda especializada de um psicólogo infantil, que deve realizar um trabalho com a criança em consultório e, paralelamente, oferecer orientações aos pais para que esses possam manejar com mais tranquilidade e eficiência esse problema.

Por: Joana Singer Vermes - Psicóloga
 Comportamental

28 comentários:

Marco disse...

Achei interessante as dicas para evitar ansiedade nas crianças na hora da refeição, algumas coisas simples de colocar em prática.

Tatiana disse...

Este texto é muito bom! Segui a sugestão de colocar somente um pouco de comida no prato da munha filha, que tem 2 anos, e os resultados estão aparecendo. No final das refeições ela fica toda feliz porque comeu tudo. Estou mais tranquila e sei que isso também está ajudando.

Simone Barbosa Pasquini disse...

A alimentação de uma criança sempre é um assunto que intriga os pais.
Abraços

David disse...

Eu tenho uma outra solução para este problema. Eu sei que um restaurante de comida muito rica e comida também saudável. A comida é feita com formas de animais que atrai as crianças e quer comer. A coisa boa sobre este restaurante é que ele tem delivery em Itaim. Eu espero que você aprenda a minha idéia.

Anônimo disse...

Meu filho tem esse problema, viu buscar ajuda de um profissional porque a situação é muito complicada, e não sei mais o que fazer.

Simone Barbosa Pasquini disse...

Q bom anônimo, procurar ajuda nos momentos que não sabemos mais o que fazer é a melhor solução.
Fique tranquila pois com o tempo o resultado aparece!!! ;)

Simone Barbosa Pasquini disse...

Olá David,
Realmente existem lugares que fazem este tipo de refeição e que muitas crianças se divertem. É uma forma se alimentar brincando. rs
:)

Rosa disse...

preciso de ajuda, meu filho não quer comer nada, quando come chega a ficar horas com um pouco de comida,ele já tem 6 anos, não sei mais o que fazer.

Anônimo disse...

Gostaria de uma indicacao sua, Simone, para um bom terapeuta no RJ.

Kelly.

kenya disse...

Achei interessante a materia, porem para o meu filho ainda não deu resultado, ele tem 6 anos e não gosta de ver a comida, ele sempre fala os alimentos que ele não gosta, outros que come, porem não gosta de ver no prato.
Ele só come de olhos fechados, ou se destraindo com outra coisa, sem ve quer ver o que poe na boca. Outra coisa, que acho relevante é que ele não gosta da maioria dos alimentos que as crianças gostam..como chocolate, chiclete, salgadinhos..

Daiane disse...

Texto excelente!! Estou esgotada, já tentei de tudo para a minha filha comer e não tem jeito, parece que que prefere passar fome, pior que ela está muito magra terei que buscar ajuda de um profissional.

Allyne Godoy disse...

Meu filho não come comida de sal ha 3 anos e 4meses.
Preciso muito de ajuda. Vocês podem me indicar um profissional em Belo Horizonte que possa me ajudar?
Ja não sei mais o que fazer.

Talita Silva Oliveira disse...

Allyne Godoy vc poderia me mandar um email no talita_tata_cpv@hotmail.com , pois me indentifiquei com vc. Meu filho tbm tem 3 anos e 6 meses e a dois não come nada de comida! Gostaria de trocar experiência!! Bjos

Talita Silva Oliveira disse...

Allyne Godoy vc poderia me mandar um email no talita_tata_cpv@hotmail.com , pois me indentifiquei com vc. Meu filho tbm tem 3 anos e 6 meses e a dois não come nada de comida! Gostaria de trocar experiência!! Bjos

ejc disse...

Meu filho também não come quase nada. Levei a vários médicos e a resposta era mais ou menos essa: se está crescendo está tudo bem. Ou então, deixa ele com fome que ele acaba comendo. Pois bem, passados longos dez anos sem qualquer diagnóstico, descobri que meu filho tem intolerância à lactose e glúten. Dessa forma, sugiro, antes de tudo, descartar problemas físicos antes de qualquer coisa. Sou uma mãe que desde que meu filho tem cerca de 01 ano procura diagnóstico para meu filho sem sucesso. A cada problema que ele tinha decorrente das intolerâncias, recebia um tratamento para saná-los. Entretanto, nenhum médico investigou as causas dos problemas.

Alessandra disse...

Meu filho de 5 anos também está sem comer carnes de todos os tipos, verduras, legumes, arroz, feijão, macarrão, etc.... nada mesmo, nem besteiras ele come. Se alimenta de algumas coisas que ele gosta. Já fui a vários pediatras e tive a mesma resposta : está se desenvolvendo bem então está bom.. vou seguir a dica e conversar com o pediatra para fazer um teste de intolerância a lactose e a glúten. Mais uma tentativa de melhorar a alimentação do meu filhote...

Regina Jezur MK disse...

Igual aki em casa então, minha filha fecha os olhos pra por a colher na boca..... complicado

Regina Jezur MK disse...

Igual aki em casa então, minha filha fecha os olhos pra por a colher na boca..... complicado

Unknown disse...

Oi minha filha só tem 2 anos e 2 meses, é ñ come nada de comida. Só quer mamadeira o dia todo só mamadeira eu fico desesperada faço todos os pratos para ver se ela gosta de algum e nada ela mexi na comida brinca e no final tenho um prato cheio de comida ela nem experimenta.

Edilaine Maria disse...

Oi minha filha só tem 2 anos e 2 meses, é ñ come nada de comida. Só quer mamadeira o dia todo só mamadeira eu fico desesperada faço todos os pratos para ver se ela gosta de algum e nada ela mexi na comida brinca e no final tenho um prato cheio de comida ela nem experimenta.

Unknown disse...

A minha filha desde 3 meses rejeitou a mamadeira o peito ela rejeitou com um mês não teve como fazer ela mamar mais a única solução foi dar mamar dormindo na mamadeira e hoje depois de um ano e três meses ela continua me dando muito trabalho pra comer ,não gosta de nada e eu continuo insistindo nos alimentos. Só come entretida senão não come.Nenhum profissional conseguiu me ajudar com resultados efetivos.

Anônimo disse...

Olá, boa noite!
Meu filho não come nada de comida de sal, está com 6 anos e não sei o que fazer.
Poderia me indicar qual o profissional devo procurar.

Dede já agradeço,

Danielle Girão disse...

Meu filho ñ come quase nada de alimentos sólidos, ele tem 7 anos e sempre tentei da alimento diversificado, mas sempre q ele v pessoas comendo ele tem ânsia de vômito. Já o levei em algunalguns especialistas e eles sempre me culpam. Sei q posso ter uma parcela d culpa, mas esse problema vem desde q ele ainda era bebê. Q ao terminar uma alimentação, sempre vomitava. Agora esse situação vem piorando pois ele só toma mingau, suco de caixinha, clara d ovo e um biscoito com cobertura de chocolate. Tento da outros alimentos , mas com falei antes ele vômito só d v ou sentir o cheiro das comidas. Me ajude quem puder!

Janaina disse...

Meu filho tem quatro anos e nove meses e é igual ao seu só de ver as comidas já tem ancia de vômito,as pessoas me culpam r ele não comer nada de comida nem de frutas mais o problema é que até tento fazer ele comer empurro na boca dele mais ele não engole e quando engole vomita aí fica muito dificil.... Entendo oque vc está passando e desejo melhoras a seu filho.

Anônimo disse...

Oi Gente!

Me identifiquei com a matéria e com as mensagens. Meu filho tem 3 anos e 9 meses e se alimenta basicamente de PediaSure (suplemento infantil tipo Sustagem, só que bem melhor)com leite.

- Café da manhã: 100 ml de PediaSure com leite. De manhã ele tem pouco apetite.

- Lanche na Escola: 01 nescauzinho (sempre mando biscoito, queijo ou pão, mas ele não come).

- Almoço: Entre 05 a 08 colheres de comida, alguns dias só come 01 colher, sempre lentamente. (A carne ou frango tem que ser bem miudinha, inclusive a carne moída tem que cortar. Ele gosta de alface, tomate, cebola, pimentão, brócole, cenoura, enfim, de verduras e legumes). O que me preocupa é que ele faz somente essa refeição sólida e com muita luta, algumas vezes nem come.
Depois do almoço, ele dorme, aí toma 90 ml de sopa batida, na mamadeira. Mas alguns dia ele recusa a sopa, mesmo dormindo).

- Lanche da tarde: Leite, PediaSure, banana, maçã, melão, uva (misturo sempre banana com mais 01 ou 02 frutas).

- Jantar: 210 ml de Leite com PediaSure

- Obs. As vezes, antes de dormir, toma outra mamadeira de Leite com PediaSure.

Me preocupo com a pequena quantidade de sólido e com o fato de querer o Leite na mamadeira. Por favor, me orientem!

Anônimo disse...

Ola! Tenho duas filhas: A mais velha tem 3,6 anos e a caçula tem 15 meses. A mais nova tem comido bm, mas a mais velha desenvolveu aversão a comida. Ela sempre foi lenta para comer mas comia;no entanto,nos mudam o para o Canadá há 6 meses e de lá pra cá tem sido muito pior. Ela começou a dizer que não gostava de certos alimentos que antes amava. E agora começou a nao mastigar a comida. Fica 10 minutos com a comida na boca e nao mastiga. Estou relacionando isso com a falta que tem sentido da nossa família no Brasil. Foi a forma que ela encontrou de demonstrar seus sentimentos, uma vez que crianças pequenas nao conseguem fazer isso com facilidade. Sou psicopedagoga e estou tentando ajuda-la nesse processo, fazendo com que ela aprenda a dizer o que sente e conversando com ela a respeito. No mais, muita paciência e oração.

Unknown disse...

Meu filho come pouco algum profissional que possa me indicar

Edna Alves Ferreira disse...

Meu filho come pouco algum profissional que possa me indicar